Apaixonada por livros, Lúcia Mara Formighieri, Jornalista e deficiente visual, comenta sobre sua paixão e dificuldades do acesso à leitura

imagem da Lucia com blusa preta segurando uma caixa com varios livros

Lúcia Mara Formighieri, deficiente visual, graduada em Comunicação Social/Jornalismo há 12 anos e apaixonada por livros. Idealizadora do blog “Literagindo” (http://literagindo.com.br), parceira e colunista no Congresso de Acessibilidade.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Como e quando surgiu seu interesse pelos livros?

Lucia Mara Formighieri Eu sempre gostei de ler, na infância, eu não tinha internet, embora tenha aprendido a escrever quando pequena, não havia o acesso à informação como hoje. Foi quando descobri a Biblioteca Pública do Paraná.
Além disso, meus pais sempre me incentivaram, apesar de eu ter dificuldades na escola, eles sempre liam para mim.

Conexão Literatura: Para você, o deficiente visual tem mais facilidade de ter acesso aos novos títulos que são lançados no Brasil ou as dificuldades continuam as mesmas de antigamente?

imagem de uma mão em cima de um livro de braille
Lucia Mara Formighieri: Eu é que sei. As editoras ainda continuam achando que um livro para uma pessoa cega é fazer caridade, como eles não têm conhecimento da nossa potencialidade, a impressão dos editores de livros é de que não podemos comprá-los pois só lemos em Braille e o custo da impressão é muito alto.
Além disso, devido aos contratos com os autores não podemos compartilhar os livros, o que dificulta muito nosso acesso aos materiais de extrema importância para nós.
Claro que a tecnologia nos auxiliou muito, pois agora podemos ler os livros digitais, ainda sim, a Lei dos Direitos Autorais nos impedem de comprar nas livrarias.
Por mais simples que pareça, eu ainda não posso entrar em uma livraria e comprar um livro em áudio, pois os aplicativos das livrarias não são compatíveis aos nossos leitores de telas.

Conexão Literatura: Você administra o site “Literagindo” (http://literagindo.com.br), notei que você cita algumas vezes a leitura inclusiva. Poderia comentar?

Lucia Mara Formighieri: O blog www.literagindo.com.br foi pensado em parceria com o site da minha amiga Dolores Affonso, do www.congressodeacessibilidade.com.
Quando nos referimos à leitura inclusiva, referimo-nos a todas as pessoas que leem. Sejam: cegas, surdas, com algum déficit mental, crianças, idosos, enfim, que por algum motivo também enfrentam dificuldades no acesso à informação.

Conexão Literatura: Você também é parceira e colunista do Congresso de Acessibilidade – Superação – Tecnologia – Inclusão (http://www.congressodeacessibilidade.com)?

Lucia Mara Formighieri Sim, conheci Dolores Affonso a partir de uma oficina, realizada em um destes eventos online.
Começamos a nos conhecer e lançamos o blog Literagindo juntas, mas sou eu que “dou as cartas lá”, inclusive estamos atrás de patrocinadores sérios, que realmente se comprometam assim como a Revista Conexão Literatura.

Conexão Literatura: No seu ponto de vista, qual a maior dificuldade para o deficiente visual no acesso à informação?

Lucia Mara Formighieri: Na minha opinião modesta são os entraves econômicos, os impostos encarecem os produtos de tecnologia, a falta de conhecimento da sociedade sobre os cegos contribui para piorar uma situação já agravada.
Eu tive a oportunidade de estudar porque sempre tive uma família que batalhou comigo, especialmente minha mãe, mas isso não ocorre com a imensa maioria.
Há deficientes visuais que perdem a visão depois de adultos e para eles é muito pior. Há casos de crianças que não enxergam na escola, são chamadas de preguiçosas, mas na verdade, não conseguem absorver o conteúdo, pois nem todos os professores dão ao trabalho de explicar de forma que não seja abstrata.
Ainda percebo um desconhecimento muito grande também por parte das próprias famílias, até da minha, isto magoa, isto dói, pois a pessoa com deficiência visual não é um estorvo, mas sim um ser humano tão capaz quanto qualquer outro.
Basta apenas que as pessoas descubram qual é esta potencialidade de cada indivíduo e o desenvolvam, como ocorreu comigo.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Lucia Mara Formighieri: Sim, eu estarei na mesa que falará sobre educação inclusiva no próximo congresso de acessibilidade, no fim do ano.
Ainda pretendo fazer um curso sobre jornalismo e Literatura, quando encontrar uma faculdade acessível e claro, continuar com as ações no Literagindo, para transformar a vida das pessoas por meio da palavra.

Perguntas rápidas:

Um livro: Difícil dizer, leio de tudo, mas Memórias de Um Livro me arrebatou.
Um ator ou atriz: Paulo Autran e Irene Ravache.
Uma frase: “Os medíocres acham, os ignorantes discutem e os sábios perguntam”
Um dia especial: Dia 17 de dezembro de 2001, o dia em que eu passei no Vestibular de Jornalismo.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Lucia Mara Formighieri: Primeiramente, gostaria de te agradecer por divulgar o trabalho da sua colega, risos, como sabemos a área da Comunicação infelizmente ainda não aprendeu o significado da palavra generosidade.
Aproveito também para enviar um recadinho a todos os leitores da Conexão Literatura: “Podemos ter os olhos apagados, mas a mente voa com as letras, no que depender de mim, ainda teremos muitas brigas com as editoras e o Ministério Público, pois o direito à informação é um direito de todos.

Eu sou Lúcia Mara Formighieri, cega, graduada em Comunicação Social/Jornalismo há 12 anos e apaixonada por livros. Idealizadora deste blog, parceira e colunista no Congresso de Acessibilidade, Canal de Notícias, entre outros.

“O que eu posso fazer enquanto comunicadora, para transformar a vida das pessoas?

Com este questionamento, criei este Blog, Literagindo, para tratar de Literatura e Leitura Inclusivas!

Venha Literagir com a gente!