Livraria vira publicações de homens ao contrário pra demonstrar disparidade e destacar vozes femininas

imagem da bela livraria, em primeiro plano um cartaz escrito em inglês: "Ilustrando a lacuna de gênero na ficção - Até o dia 14/03 - Silenciamos autores masculinos, deixando as obras de mulheres à vista" ,ao fundo a parede coberta de livros, em frete várias mesas e bancos com almofadas, no teto pisca pisca

“Ilustrando a lacuna de gênero na ficção – Até o dia 14/03 – Silenciamos autores masculinos, deixando as obras de mulheres à vista”

A falta de igualdade de gênero está presente em várias áreas, e na literatura não é diferente: no século XIX, algumas autoras assinavam suas obras com pseudônimos masculinos para fugir do estereótipo de que mulheres só escreviam romances leves. Uma livraria dos Estados Unidos encontrou um jeito diferente de apontar a disparidade entre livros de homens e mulheres.

A Loganberry Books, localizada em Cleveland, virou todos os livros de ficão escritos por homens ao contrário, para que suas lombadas ficassem voltadas à parede. Segundo Harriett Logan, dona da loja, imagens “comunicam com força”, e a atitude “não só aponta a diferença entre o número de publicações como dá destaque aos livros com autoras mulheres”.

“Ilustrando a lacuna de gênero na ficção – Até o dia 14/03 – Silenciamos autores masculinos, deixando as obras de mulheres à vista”

As funcionárias da livraria passaram cerca de duas horas para virar cerca de dez mil títulos, numa das ações promovidas para marcar o mês da mulher. Logan comentou ter ficada surpresa por, mesmo se esforçando há anos para oferecer livros escritos por mulheres, perceber uma maioria tão grande de títulos criados por homens.

A dona da livraria disse ainda que a medida é uma metáfora para silenciar as vozes masculinas por um tempo: “para prestar atenção nas mulheres, é preciso conseguir ouvi-las. Se alguém está falando junto com elas, isso simplesmente não acontece”, concluiu.

 

iamgem da livraria, uma parede cheia de livros com uma mulher em frente numa escada amarela usando blusa preta e calça vermelha, em primeiro plano um homem careca mexendo no celular, ao fundo duas pessoas mexendo nos livros da estante

imagem da bela livraria, ao fundo a parede coberta de livros, em frete várias mesas e bancos com almofadas, no teto pisca pisca

Fonte: hypeness

Eu sou Lúcia Mara Formighieri, cega, graduada em Comunicação Social/Jornalismo há 12 anos e apaixonada por livros. Idealizadora deste blog, parceira e colunista no Congresso de Acessibilidade, Canal de Notícias, entre outros.

“O que eu posso fazer enquanto comunicadora, para transformar a vida das pessoas?

Com este questionamento, criei este Blog, Literagindo, para tratar de Literatura e Leitura Inclusivas!

Venha Literagir com a gente!