Qual é o tamanho do seu amor pelos livros?

Resultado de imagem para Farenheight 451

FICHA TÉCNICA

Título do livro: Farenheight 451

Autor: Ray Bread Barry

ISBN: 789-785-581

Ano: 1953, sendo republicado em 1980 e filmado para as telas de cinema em 1977, pelo roteirista François Truffeaut.

Nº de páginas: 571.

Idioma: inglês, Estados Unidos, traduzido para o Brasil por Marcelo Mendes.

Editora: Globo Livros.

  Compre seu livro impresso aqui: www.livrariasaraiva.com.br, livrariacultura.com.br. www.globolivros.com.br e buscape.com.br.

Versões do livro em ebook você poderá encontrar em: www.lelivros.clube.com, amazona.com.br e com a própria editora: www.globolivros.com.br.

RESENHA

  “Se alguém te der um papel pautado, escreva de trás para frente”. Assim inicia-se o clássico, que nos traz aos dias atuais.

Em um futuro distante, os livros tornam-se inúteis. Não há mais escolas, as pessoas não leem mais e os bombeiros não apagam mais incêndios, eles queimam livros.

Guy Montag é um bombeiro que seguirá o caminho contrário. Em uma noite, ele é chamado para colocar fogo em uma casa com livros, mas a dona recusa-se a sair, ele rouba alguns livros e a trama começa.

 No entanto, ele não teria feito isso se não fosse pela jovem Clarice MacLaine, que ajuda Montag a perceber a importância e a utilidade dos livros.

Montag, por sua vez é casado com Millydread que, utiliza-se de monitores de televisão para interagir com a sociedade, uma vez que neste futuro distante, as pessoas não saem mais de casa.

  A trama vai se desenrolando até o dia em que Montag descobre dois fatos: Clarice desaparece misteriosamente e o professor de inglês Faber aparece em sua vida.

  Estes fatos culminariam em uma mudança súbita deste bombeiro, agora ele não queima, mas salva o conhecimento: por quê?

  Quando o capitão Pitt é morto e Clarice é atropelada, Montag torna-se a estrela dos monitores da tevê de Millydread, a partir de uma fuga muito interessante.

  Folga esta, que é controlada por uma máquina futurista, um sabujo, uma criatura de oito patas que usa o sensor eletrônico para localizar e queimar os alvos, mas Montag conseguirá vencer os obstáculos?

  Ao ser obrigado a queimar sua casa e seus livros, este personagem ainda nos dá provas de seu amor pelos livros, sem rancores.

  Pontos interessantes!

  O leitor precisa ser muito hábil ao ler este clássico da Literatura, pois Ray não escreve para fanzines tipo Harry Potter, mas a literatura deste autor abrange muita categoria, heis alguns pontos retirados por mim das entrelinhas:

-Qualidade das informações;

-Censura do conhecimento;

-A tecnologia dominando o ser humano;

-A falta de sentimentos afetuosos entre as pessoas;

-O espetáculo da informação enquanto moeda de troca, eu te dou algo para você se distrair e você deve ouvir sem reclamar;

  Portanto, se você gosta de refletir, o blog Literagindo Recomenda: Ferenheight 451, do autor: Ray Bread Barry.

  O único ponto negativo é que a narrativa precisa ser seguida com atenção, este não foi um livro que me prendeu, pois só há uma ação intensa no meio da obra.

  Contudo, adorei as reflexões propostas, vale lembrar que o filme não assisti, portanto, quem quiser, pode procurar pelo clássico, pois as conversas de Montag com o professor Fáber, sempre serão uma aula de literatura.
  Finalizo dizendo que o autor, ao fim do livro critica as cartas recebidas lhe questionando sobre alguns personagens, Bread é categórico: “Vocês são censores, eu mando no meu livro”, para refletirmos, beijinhos com letrinhas, uma boa leitor ra!   Qual é o tamanho do seu amor pelos livros?

Eu sou Lúcia Mara Formighieri, cega, graduada em Comunicação Social/Jornalismo há 12 anos e apaixonada por livros. Idealizadora deste blog, parceira e colunista no Congresso de Acessibilidade, Canal de Notícias, entre outros.

“O que eu posso fazer enquanto comunicadora, para transformar a vida das pessoas?

Com este questionamento, criei este Blog, Literagindo, para tratar de Literatura e Leitura Inclusivas!

Venha Literagir com a gente!

Post Tagged with , , ,