Podcast #1 Ver com as mãos, ler com a alma

Turma do Projeto Ver com as mãos, Ler com a alma. T

Clique para ouvir o podcastOuça o Podcast

 

 

Olá turminha do blog Literagindo? Tudo bem?

Hoje abordaremos em nosso podcast um papo bem descontraído com uma personagem super consciente de seu trabalho. A idealizadora do Projeto Ver com as Mãos, do Instituto Paranaense dos Cegos em Curitiba.

Pergunta do Blog: Como surgiu o projeto Ver com as Mãos?
Diele
: “O projeto ver com as Mãos é apenas um nome simbólico. Nosso objetivo é descrever as imagens das artes e fazer com que os alunos com deficiência visual reflitam sobre as obras dos grandes artistas.”

Pergunta do blog: Como começou o projeto?
Diele
“Em 2012, fomos contemplados no Edital do Projeto Criança Esperança, desde então, temos atividades focadas para: crianças, jovens e seus familiares. Pela manhã, atendemos cerca de cinquenta e dois alunos e à tarde, cerca de 35 alunos.

Pergunta do blog Literagindo: Quais oficinas são realizadas aqui?
Diele
: “São realizadas oficinas como Dobrando Alegria, onde nossos alunos aprendem a fazer dobraduras, oficinas de música, passeios à museus, idas à teatros e principalmente, nós fazemos com que nossos jovens reflitam sobre a conscientização de seus direitos, ou seja, da importância de serem cidadãos pró-ativos, pois no instante em que eles começam a frequentar espaços culturais, os próprios Gestores e Produtores percebem a necessidade de um espaço de arte e lazer mais acessível.”

Pergunta do Blog Literagindo: Como tem sido a participação da família dos alunos?
Diele
: “A participação da família dos nossos alunos tem sido fantástica, há inclusive, alguns alunos que vão aos passeios com seus irmãos. Os pais, por motivos culturais, aprendem que mostrar a arte aos filhos que não enxergam é também um aprendizado para eles próprios”

Pergunta do Blog Literagindo: Quantos voluntários atendem os alunos neste projeto?
Diele
: “Entre voluntários, intercambistas e estagiários, temos mais de onze pessoas que nos auxiliam, destaco a importância da professora Claudilane Raposo em nosso projeto, como meu braço direito.”

De repente, entrou na sala, para a surpresa de todos, uma aluna muito querida, levando um bilhete para a professora Diele. Trata-se de Kelly Machado, uma garota que iniciou seus estudos no Instituto Paranaense aos 7 anos e, hoje, estuda em uma escola pública do Município de Campo Magro, onde ensina seus professores a importância da imagem para as pessoas cegas.

Pergunta do Blog Literagindo: Kelly, o que você mais gosta no projeto?
Kelly
: “O Projeto Ver com as Mãos me ensinou a pensar sobre a arte, a conhecer as principais obras de arte e a fazer dobraduras, mas eu adoro escrever, refletir sobre o que eu aprendo”.

Pergunta do Blog: Professora Diele, este projeto ajuda nas disciplinas escolares também?
Diele
: “Sim, pois nós não descrevemos apenas obras de arte, mas, as imagens como um todo, assim, eles apreendem os conceitos nas matérias de exatas e no universo como um todo.”

Pergunta do Blog Literagindo: Qual é sua maior gratificação?
Diele
: “Minha maior gratificação é perceber que os nossos alunos estão transmitindo os conhecimentos adquiridos aqui a outros jovens, bem como formarem uma opinião mais sólida e construírem um futuro mais digno para si”.

Pergunta do Blog Literagindo: Professora, quais são os planos para o futuro do Projeto Ver com as Mãos e quais os caminhos para o futuro?
Diele
“O futuro do Projeto Ver com as Mãos só depende dos alunos, começaremos a partir de 2017 mesas-redondas com as escolas. Como já temos parcerias com algumas Universidades, pretendemos ampliar as oficinas e continuar com um trabalho também focado nos jovens, que, entrarão no mercado de trabalho e na faculdade”.

Neste instante, Kelly nos entrega um coração com asas feito de papel, dobrado perfeitamente, incrível a agilidade e habilidade de uma aluna que, mesmo com baixa visão não hesitou em aprender a desenhar.

“Estamos fazendo cartilhas para ensinarmos nossos colegas a arte japonesa do origami, conta Kelly”.

O Blog Literagindo aprendeu muito este mês, acho que nosso maior aprendizado foi o de acreditar que, ainda há pessoas que podem contribuir para um mundo infinitamente muito melhor. Por isso, gostaríamos de agradecer a disponibilidade de nossa grande amiga, Diele Pedroso, professora de Educação Artística e coordenadora do Projeto Ver com as Mãos por sua disponibilidade, seu tempo e por confiar em nosso trabalho e nossa amiga Rose Kakol de Carvalho, por nos receber em sua casa e nos orientar com suas palavras sempre tão sábias.

“Ler um texto também é ver o mundo com as mãos”.

Eu sou Lúcia Mara Formighieri, cega, graduada em Comunicação Social/Jornalismo há 12 anos e apaixonada por livros. Idealizadora deste blog, parceira e colunista no Congresso de Acessibilidade, Canal de Notícias, entre outros.

“O que eu posso fazer enquanto comunicadora, para transformar a vida das pessoas?

Com este questionamento, criei este Blog, Literagindo, para tratar de Literatura e Leitura Inclusivas!

Venha Literagir com a gente!