VIDEO/ÁUDIO-BOOK: GABRIELA, CRAVO E CANELA por Jorge Amado – parte: 1/4

Resimagem da capa do livro uma pintura da gabriela, com o nome do autor (Jorge Amado) escrito em cima de vermelho, gabriela cravo e canela

Amado, Jorge. Gabriela, Cravo e canela.

Nota sobre o autor

Nascido a 10 de Agosto de 1912, em Itabuna, no sul do Estado da Bahia, Jorge Amado,
nasceu, como dizia sua mãe, «com a estrela»: um homem afortunado. Seu pai queria
que o filho fosse doutor, e ser doutor naqueles tempos era formar-se em Medicina,
Engenharia ou Direito.
Jorge Amado, que desde os catorze anos participava em movimentos culturais e
políticos, optou por Direito. Fez a vontade ao pai, mas não foi buscar o diploma e nunca
exerceu advocacia. Em compensação, no ano da sua licenciatura, em 1935, já era um
escritor conhecido, autor de quatro livros que fizeram sucesso entre o público e a critica:
O País do Carnaval com que se estreou aos 18 anos, Cacau, Suor e Jubiabá. Em 1937,
devido ao seu intenso envolvimento Político, viu toda a primeira edição do seu livro
Capitães da Areia ser queimada em praça pública, o que o levou, em 1941, ao exílio na
Argentina e no Uruguai.
Em 1945, Jorge Amado uniu-se a Zélia Gattai, companheira de toda a sua vida.
Deputado federal pelo Estado de São Paulo, fez parte da Assembleia Constituinte
votando leis importantes, como a que ainda hoje garante a liberdade religiosa no país,
Em 1947, o Partido Comunista foi ilegalizado e Jorge Amado perdeu os seus direitos
políticos. Voltou para o exílio, desta vez em França e na Checoslováquia, continuando a
escrever e a trabalhar pela paz, agora em companhia de Pablo Neruda, seu velho amigo,
de Pablo Picasso, de Louis Aragon, de Nicolás Guillen, só regressando ao Brasil em
1952. Em 1961 foi eleito para a Academia Brasileira de Letras, vindo também a
pertencer à Academia de Letras da Bahia, à Academia de Ciências e Letras da
República

Pág.7

Democrática Alemã e à Academia de Cíêncías de Lisboa, sendo membro
correspondente destas duas últimas.
O seu livro Gabriela, Cravo e Canela, publicado em 1958, teve grande sucesso e os seus
direitos cinematográficos foram vendidos para a Metro, o que possibilitou ao escritor a
compra de uma casa em Salvador realizando assim o sonho de voltar a viver na sua
terra. Em 1963, Jorge Amado muda-se com a sua família para a Rua Alagoinhas, onde
tem escrito os seus livros.
Jorge Amado foi agraciado com inúmeros prêmios internacionais, entre os quais:
Prêmio da Latinidade (França, 1971), Prêmio do Instituto Italo-Americano (Itália,
1976), Prémio Pablo Neruda (Rússia, 1989), Prêmio Etrúria de Literatura (Itália, 1989),
Prémio Mediterrâneo (Itália, 1989), e o Prêmio Luís de Camões (Brasil-portugal, 1995).
Recebeu ainda os seguintes títulos, entre outros: Comendador da ordem de Andrés Bello
(Venezuela, 1977), Comendador da Ordem das Artes e das Letras (França, 1979);
Grande Oficial da Ordem de Santiago da Espada (Portugal, 1980), Grande Oficial da
Ordem do Mérito da Bahia (Brasil, 1981); Cornendador da Ordem do Infante Dom
Henrique (Portugad, 1986), Grande oficial da Ordem do Rio Branco (Brasil, 1987),
Ordem Carlos Manuel Céspedes (Cuba, 1988), Comendador da Ordem de Maio
(Argentina, 1922), Ordem Bernardo O’Higgins (Chile, 1993). É ainda Doutor Honoris
Causa pela Universidade Lumière, Lyon II, França, Universidade de Bari, Itália,
Universidade de Israel, Universidade Pádua, Itália e Sorbonne, França. Jorge Amado
faleceu na Bahia a 6 de Agosto de 2001.

Video/Audiolivro elaborado e cedido por Michael Ramos 
Eu sou Lúcia Mara Formighieri, cega, graduada em Comunicação Social/Jornalismo há 12 anos e apaixonada por livros. Idealizadora deste blog, parceira e colunista no Congresso de Acessibilidade, Canal de Notícias, entre outros.

“O que eu posso fazer enquanto comunicadora, para transformar a vida das pessoas?

Com este questionamento, criei este Blog, Literagindo, para tratar de Literatura e Leitura Inclusivas!

Venha Literagir com a gente!

Post Tagged with , ,